MMA Brazucas TV: Finalizações no Twister, Cadeira Elétrica com o Faixa Preta Gustavo Bione

Neste novo vídeo, Gustavo Bione, Faixa Preta da Rilion Gracie PE - PFC(Pernambuco Fight Club), responsável pala implantação do Jiu-Jitsu na Corregedoria de Polícia de Pernambuco, e Diretor de Redação da antiga revista Session, tem prestado atenção no jogo dos gringos há algum tempo e hoje vai compartilhar com a gente um pouco do que  absorveu da equipe do Eddie Bravo, a 10th Planet.

Assista e compartilhe:

https://www.youtube.com/watch?v=zfnOZWtU2iM


ADCC: Renzo Gracie vs Matt Hughes em superluta do evento

O ADCC World Championship, um dos maiores eventos de luta agarrada, confirmou para seu próximo evento, que acontece na segunda quinzena de Setembro de 2017 na Finlândia, como superluta duas lendas das artes marciais, Matt Hughes (42 anos) e Renzo Gracie (49 anos).

Matt Hughes castiga a perna do Renzo Gracie

Ambos atletas se enfrentaram em 2010 e quem levou a melhor foi o Matt Hughes, que venceu o Renzo Gracie por nocaute técnico no terceiro round após vários chutes nas pernas e socos no corpo.

Outra luta já confirmada pelo evento também é entre André Galvão vs Cláudio Calasans. Galvão venceu a superluta contra o Cyborg em 2015. Já Calasans é o atual campeão absuluto do ADCC.

andre galvao e claudio calasans


Eddie Bravo foi intimado por Royce após sua luta com Royler

A intimada de Royce teria acontecido minutos depois dos quarentões Eddie Bravo e Royler Gracie terminarem empatados a cansativa luta de 20 minutos realizada sábado passado no evento METAMORIS PRO 3.

A luta, que se tratava de uma revanche concedida pelo americano ao brasileiro, esperou mais de 10 anos para acontecer, o que fez com que o número de pay-per-wiews do evento saltasse de 9.000, na ultima edição do METAMORIS, para 30.000, segundo os cálculos de Eddie Bravo.

“Assim que a luta terminou comecei a vomitar”, disse rindo o americano. “Mas não se tratava de um mal estar. Na verdade eu estava me sentido fisicamente muito bem. Estava feliz, tanto com o resultado da luta, quanto com tudo que vivenciei do momento em que ela foi marcada até ali. A coisa toda tinha acontecido de forma tão fluida que aquele vômito se assemelhava mais a sensação revigorante que costumamos sentir numa sessão mística de Ayahuasca,” Completou.

Enquanto Eddie botava para fora o que sobrara da sua ultima refeição, Royce Gracie teria se aproximado do atleta e dito que seu discurso enaltecedor a favor de Royler, no final da luta, não mudava em nada tudo que ele tinha dito contra a família Gracie no decorrer dos últimos anos.

“Royce se aproximou como se estivesse preste a partir para cima de mim. Tentei explicar que jamais havia dito nada contra a família Gracie. Afinal, tenho um profundo respeito por cada um de seus integrantes e por tudo que já fizeram pelo universo da luta. Mas como meu discurso parecia não estar surtindo efeito, meu professor, Jean Jacques Machado, pediu licença e me tirou de lá”.

ROYCE VS EDDIE

Royce Gracie teria confirmado a história contada por Eddie Bravo e dito ainda que, apesar de não ter interesse algum em enfrentar o americano dentro das regras do METAMORIS, adoraria lutar com ele num embate não cronometrado onde fossem permitidos socos e chutes.

“Não tenho interesse em lutar MMA. Já numa luta de jiu-jitsu, não vejo problema nenhum em enfrentar o Royce.  No jiu-jitsu, o Royler é melhor que ele. Mas é pouco provável que eu volte a lutar no METAMORIS. Desde sábado ainda não recebi, sequer, um telefonema de  Ralek Gracie, o organizador do evento. Ele deve estar chateado comigo por algum motivo que desconheço”.


GFTeam Pernambuco e seu rendimento nos campeonatos de jiu jitsu 2013

A equipe GFTeam Pernambuco ao comando do professor EMERSON MARTINS, faixa preta 1. Grau vem desde o começo de 2013 participando de várias competições dentro e fora do estado de Pernambuco e os resultados tem sido satisfatórios:

  • BI CAMPEÃ - OPEN FIGHT PRO DE JJ (1. E 2 ETAPA) -  RECIFE
  • VICE CAMPEÃ FIGHT KIDS DE JJ - RECIFE
  • VICE CAMPEÃ – OPEN PARAÍBA DE JJ – PARAÍBA
  • CAMPEÃ - OPEN AGRESTE DE JJ - CARUARU
  • CAMPEÃ – OPEN LIMOEIRO DE JJ – LIMOEIRO
  • CAMPEÃ – OPEN GLADIADOR DE JJ – CARPINA
  • BI CAMPEÃ – COPA HACHER COULD KIDS DE JJ - OLINDA

Copa Fight Pro

Graças a união e parceria dos professores e coordenadores da equipe GFTeam (Renato Castro e Júnior Show) que estão se dedicando ao máximo para que a equipe cresça e seja uma das mais respeitadas no cenário das lutas.

“Gostaríamos de destacar a evolução de alguns atletas no feminino as atletas MAYSA SILVA, ANA VERENA e MONALICE que vêm sempre fechando as categorias na faixa branca. Na azul juvenil, ICARO ALLEN está se dando bem, na última competição fechou categoria e absoluto. Na roxa, JOSÉ ROBSON e HALLISON RAFAEL, estão participando de quase todas as competições e sempre chegando no pódio. Na marrom EMMAUEL PEZÃO está ganhando em várias competições na categoria e no absoluto, é uma promessa para 2014. Na preta JR SHOW, RENATO CASTRO, EMERSON MARTINS e nosso amigo ANDERSON WESLEY (GFTeam-PB), estão fazendo um trabalho de equipe nas categoria e no absoluto.”

Na disputa do ranking interno a briga está bastante puxada, pois quem está liderando é MAYSA SILVA, deixando os faixas pretas pra trás. A entrega da premiação será no ANNUAL MEETING 2013, que vai acontecer no dia 15 de dezembro em Recife e terá a participação do mestre JÚLIO CESAR.

Parcial do Ranking: -

Maysa Silva             375 pontos
Emerson Martins   320 pontos
Ana Verena             260 pontos
Icaro Allen             220 pontos

“Agradecemos sempre ao nosso comandante mestre JÚLIO CESAR, aos professores e instrutores de cada filial, a TRATOR PIRES, EDY TRANSPORTES, LEOPARDO TRANSPORTES, KIMONOS CASCAGROSSA, NATIVUS, TRIBAL FIGHT , LYCAN , FIGHT EVENTOS.

[nggallery id=64]


Seminário com o Mestre Jesiel Andrade

O mestre Jesiel Andrade estará ministrando um seminário de Jiu Jitsu com foco em Defesa Pessoal, Submission e MMA no dia 20 de Julho de 2013.

O mestre Jesiel Andrade é aluno do Zé Gomes, irmão do Ivan Gomes e possui uma bela experiencia de ensino, onde em Pernambuco, são raríssimas as pessoas que não foram seus alunos nos anos 80 e 90. Diversos de seus alunos hoje formaram outras academias.

O seminário será no Centro de Artes Marciais na rua General José Semeão, 78, no bairro da Boa Vista, em Recife. O evento custará R$ 30,00 até o dia 30 de Junho, após essa data o valor subirá para R$ 40,00. Com duração de 6h, tendo início às 14h. O certificado será entregue ao final do evento.

Cartaz Jesiel Andrade Seminário
Cartaz Jesiel Andrade Seminário

Mais informações:
(81) 9717-5692
(81) 8779-0434
jd2198@gmail.com
glauciano_junior@hotmail.com


Copa Fight Pro de Submission - Imagens e Resultados

A Copa Fight Pro de Submission que aconteceu na quadra do Colégio Nova Olinda (09/06/2013) na cidade patrimônio cultural da humanidade, com combates bem disputados. Destaque para o atleta Junior Show (GFTeam) que foi campeão da categoria e no absoluto, e  o atleta Yulbrinner Lunna (Nine Nine) que mesmo sendo faixa roxa, competiu na categoria avançado sendo campeão da categoria e terceiro no absoluto.

Resultado por equipe:

1 colocada - Academia GFTeam

2 colocada - Academia Nine Nine

3 colocada - Academia Arena Fight

Imagens do evento:


Copa Fight Pro de Submission: Disponíveis as chaves

Saiu o sorteio das chaves, veja quem pega que nas lutas.

"Casamos as lutas de maneira que todos pudessem competir, porém alguns realmente não terão lutas, foram feitas todas as alterações que foram mandadas por e-mail. Não alteraremos as chaves no dia do evento, por favor não insistir, para não causar eventuais transtornos. A Direção do Evento agradece". Falaram assim Beto (Tartaruga) e Bruno (Boca) - Diretores do Evento.

Faça o download do arquivo abaixo em PDF para a verificação:

Para os amantes do grappling, chegou a hora de mostrar seu talento, estão abertas as inscrições para COPA FIGHT PRO DE SUBMISSION.

O evento acontecerá no dia 09 de Junho de 2013 na escola Nova Olinda, em Olinda-PE.

"Esperamos promover um Evento com altíssimo nível para os amantes do NO GI (sem quimono), pois sabemos que o nosso estado é carente de eventos dessa modalidade e nível, a estrutura e local será a mesma do KIDS, aproveitamos as estruturas e já deixamos tudo montado para o SUBMISSION  no Domingo, esperamos a participação de todos e desde já agradecemos." Falou Roberto Aymar (Tartaruga) e Fernando Bruno (Boca) - Diretores do Evento.

As inscrições custam R$ 50,00 até o dia 03 de Junho mais 1kg de alimento não perecível. O absoluto terá o custo de R$ 10,00 a mais.

Informações aqui no site ou no perfil do facebook: Fight Pro Open ou nos telefones e e-mail abaixos.

INFORMAÇÕES: (81) 8888-0354 / (81) 9610-7031 Beto Aymar (Tartaruga)
INFORMAÇÕES: (81) 8858-5524 / (81) 9836-0593 Fernando Bruno (Boca)
E-mail: copafightproopendejiujitsu@hotmail.com / Facebook: Fight Pro Open

 Cartaz Submission

 

 

 

 

 


Pentacampeão Mundial de Jiu Jitsu, Fernando Tererê busca recomeço

Um dos maiores talentos do jiu-jitsu brasileiro tenta a recuperação no tatame depois de anos na luta contra as drogas e de perder, por conta do vício, principalmente em crack, quase tudo o que conquistou no início da carreira. Recuperado, busca não só a redenção no esporte mas também ajudar a evitar que outras pessoas tomem o mesmo caminho.

Fernando Augusto da Silva, mais conhecido como Fernando "Tererê", tem 33 anos, é graduado pela equipe Alliance e, considerando todas as categorias nas quais competiu, já foi pentacampeão mundial de jiu-jitsu. Venceu duas vezes na preta, a mais tradicional, e uma em cada na azul, roxa e marrom. Ele possui também cinco títulos nacionais.

Todas as conquistas foram entre o final da década de 90 e o começo de 2000, quando passou a se envolver com as drogas. De 2004 até 2012, foram tentativas frustradas de conduzir a carreira em paralelo ao consumo de drogas. Tererê internou pelo menos três vezes desde 2004. Mas não adiantava.

"Nasci vendo pessoas usando drogas, mas não me envolvia, não conhecia o prazer daquilo. Depois de um tempo caí de gaiato, sem conhecimento. Comecei a usar e aquilo foi sendo um remédio e me viciando. Tomou conta do meu corpo e da minha mente e fez com que eu desabasse. Aí minha carreira foi por água abaixo. Não me dedicava mais ao esporte, não queria saber mais de nada. Vivia na rua", lembrou Tererê, em entrevista ao UOL Esporte.

"Fiquei parado quase esse tempo todo [de 2004 a 2012]. Não botava quimono, não fazia esporte nenhum...era só cracolândia, baile funk, droga na rua, na praia, em casa...perdi o rumo. Sabe o que é uma pessoa sem rumo? Onde eu via uma fumaça, queria estar", continuou.

O vício fez com que o lutador perdesse tudo o que ganhou. Perdeu desde as franquias de sua academia, que começava a fazer sucesso por suas várias conquistas e nome relevante no esporte, até roupas e utensílios domésticos.

"A vida que eu tinha estava me levando para a morte. Não tinha mais vida decente, não comia direito, não tinha grana. Perdi minhas academias, não tinha roupa mais. Parecia um mendigo", explicou. "Perdi muito, perdi muito. Se eu tivesse R$ 300,00  na mãos, era gasto em papelote. Nem isqueiro eu comprava", afirmou.

Das drogas que quase acabaram com a carreira de Tererê, a principal foi o crack. Mas ele conta que teve experiência com várias delas. "O crack foi o que mais atrapalhou, mas eu queria experimentar tudo. Cheirava cola, usava crack...cheguei a pesar 64 kg. E hoje estou com 82 kg", disse.

"O crack é o que mais mexeu comigo. É uma mistura venenosa. Quanto mais você fuma, mais você quer. Machuca demais o seu corpo. Todas machucam, na verdade. Mas o crack te deixa muito mais inconsciente", explicou.

Depois de setembro do ano passado, após sua quarta internação, Tererê enfim não teve mais recaídas. Diz que os pais e amigos mais próximos foram fundamentais na reviravolta. Decidiu, depois de enfim se sentir seguro contra recaídas, a voltar com tudo ao esporte.

"Graças a Deus eu me superei, tive amigos, família e pessoas que não me abandonaram e deixei tudo de lado. Agora voltei e estou construindo tudo de novo que perdi antes."

Reabriu sua academia, agora no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro. Ela leva seu nome, foi reinaugurada em janeiro e tem aproximadamente 23 alunos.

Tererê passou a voltar a disputar competições. De outubro do ano passado pra cá, venceu um torneio no México, um em São Paulo e foi vice-campeão em uma competição na Europa. Se prepara para o Mundial de jiu-jitsu, que será realizado em junho, nos Estados Unidos.

"Pretendo agora procurar patrocínio e suporte para voltar a lutar em 100% e ser o lutador que fui antes. O tempo vai passando, e a nova geração está vindo com tudo.  Tenho voltar com tudo", falou, empolgado.

Uma das principais missões a fazer pelos alunos e pessoas próximas é evitar que eles cometam o mesmo erro. "A minha academia tem projeto social e dou oportunidade pra quem é do morro estar lá. Não quero vê-los irem pra onde fui.  No que eu puder alertar hoje, vou fazer. Sei o que é a pessoa passar nesse buraco e cair."

Vitória contra lenda do MMA

Em um dos Mundiais de jiu-jitsu que foi campeão, na faixa marrom, Tererê venceu nas quartas de final o havaiano B.J. Penn, umas das lendas do UFC. Penn é um dos dois únicos lutadores da maior organização do mundo de MMA, ao lado de Randy Couture, que já conquistou cinturão em duas categorias diferentes.

O havaiano foi também o primeiro atleta não brasileiro a conquistar o título de um Mundial de jiu-jitsu de kimono em faixa preta, em 2000.

Fernando Tererê já tentou o MMA há alguns anos, mas não se adaptou. Pensa hoje em atuar como técnico de sua especialidade para algum atleta de ponta do MMA que deseje aprimorar seu jiu-jitsu.

"Muitos atletas do MMA procuram o jiu-jitsu pela base do chão. Eu tenho em mente um projeto de auxiliar como técnico algum craque do MMA, isso vai ser muito bom. Até migrei um tempo para o vale tudo, mas não era o meu forte, meu forte sempre foi o pano, o jiu-jitsu  de quimono."

Fonte: http://esporte.uol.com.br/mma/ultimas-noticias/2013/03/15/lutador-brasileiro-se-perde-no-crack-vira-mendigo-e-tenta-recomeco.htm


Zé Mário Sperry explica saída da Blackzilians e fala da superluta contra Fábio Gurgel no ADCC

Após seis meses como head coach (principal treinador) da Blackzilians, Zé Mário Sperry deixou o comando da equipe nesta semana. Em entrevista exclusiva ao PVT, Sperry contou o motivo que o fez voltar ao Brasil.

“Tenho meus negócios no Brasil, que não são relacionados à luta. E eu estava viajando muito, moro há seis meses num hotel aqui, vinha com a família, depois voltava para o Brasil. Não estava conseguindo conciliar a função de treinador com meus negócios, então decidi abdicar do cargo, e estou voltando para o Rio”, explicou Zé Mario.

O faixa preta de Carlson Gracie garantiu que não houve desentendimento com nenhuma das estrelas da equipe, na qual treinam Vitor Belfort, Alistair Overeem, Rashad Evans, Jorge Santiago, Thiago Silva, Gesias Cavalcante, Guto Inocente, os irmãos Danillo e Yuri Villefort, entre outros.

“Não, longe disso! Fiz muitos amigos, fui muito feliz, e torcerei por todos sempre. Ainda estou treinando lá com eles antes de voltar”, afirmou Sperry.

O veterano está treinando para encarar Fábio Gurgel em superluta no ADCC, dia 19 de outubro em Pequim, China. Bicampeão do torneio de submission, Sperry venceu também três superlutas, a última sobre Renzo Gracie, em 2011.

“Já venho treinando, o Fábio é excelente atleta, tem história. Vem da melhor academia de jiu-jitsu do mundo [Alliance]. Espero grande luta”, projetou Zé Mario, completando que no momento não pensa em voltar a treinar no Team Nogueira, como fazia antes de ir para os EUA: “Não pretendo assumir nenhuma equipe, nada como treinador, por enquanto. Mas continuarei treinando, praticando a luta como hobby”, finalizou um dos ícones do jiu-jitsu.

Fonte: http://portaldovaletudo.uol.com.br/br/noticias/item/4461-z%C3%A9-mario-sperry-explica-sa%C3%ADda-da-blackzilians-e-fala-de-luta-contra-gurgel-no-adcc


Ricardo Arona prevê retorno às lutas até fim de 2013

 

Arona lutou pela última vez em setembro de 2009 (Foto Eduardo Ferreira)

 

Os fãs de Ricardo Arona ficaram “órfãos” em 12 de setembro de 2009, quando a fera venceu o ex-campeão do UFC, Marvin Eastman, por decisão unânime dos juízes laterais, em sua última luta profissional.

O “Tigre Brasileiro” segue longe dos treinos. O foco e atenção de Arona estão voltados na finalização das obras do Centro de Treinamento que deverá ser inaugurado ainda no primeiro semestre de 2013, em Niterói, sua cidade natal. Mas, ele não descarta uma volta aos cages no final de 2013.

“Estou terminando só agora as obras do meu Centro de Treinamento. Acabei interrompendo durante um tempo as obras, mas agora está fechando. Quero começar um treinamento para no final do ano fazer uma luta, passando por uma reciclagem nos meus treinos. Se tudo der certo, no final do ano volto a lutar”, revelou, em entrevista à TATAME.

No mês passado, Arona teve seu nome vinculado numa revanche contra um antigo algoz. O duelo seria contra Rameau Sokoudjou, que o nocauteou pelo Pride, mas o próprio lutador faz questão de rechaçar o rumor, apesar de revelar que ainda é motivo de cobiça de muitos eventos.

“Não fui procurado por esse evento, nenhuma conversa rolou. Fiquei sabendo desse rumor há três dias, mas não passa mesmo de uma especulação, uma falsa especulação. Eu sempre recebo propostas para lutar, mas na verdade não tenho nada fechado ainda. Estou cuidando da minha vida particular para depois pensar em voltar 100%”, declarou.

Volta ao Submission ‘mais fácil’

 

Arona brilhou nas edições do ADCC em que participou (Foto Marcelo Alonso)

 

Ricardo Arona trilhou um caminho de sucesso também na luta agarrada. Invicto no Submission, o faixa-preta de seu xará Libório faturou peso e absoluto no ADCC 2001, despachando nomes como Tito Ortiz, Jon Olav Einemo, Saulo Ribeiro e Vitor Belfort. Na edição de 2003 da maior competição de grappling do mundo, Arona se sagrou campeão da superluta ao superar o norte-americano Mark Kerr.

E pode ser justamente no Submission que Ricardo Arona retorne à ativa: “Ainda estou pesando as coisas, quero saber o que vale a pena para mim. Quero voltar treinando Jiu-Jitsu, mas para competir já é uma coisa mais complicada. Se fosse uma luta no Submission, seria mais fácil para mim. Eu poderia treinar em menos tempo e estar pronto para lutar”.

“Uma coisa é certa: eu vou voltar, só estou esperando o momento certo”, encerra, convicto.

Fonte: http://www.tatame.com.br/longe-do-mma-ricardo-arona-cre-em-volta-mais-facil-ao-submission/