Copa Fight Pro Jiu Jitsu 2017: Rodrigo Campos e Abraão Amorim Campeões Preta Absoluto e Gracie Humaitá é a Equipe Campeã

Em mais um domingo de muita luta de Jiu Jitsu em Pernambuco no ginásio da Secretaria de Educação no bairro da Várzea, a Copa Fight Pro de Jiu Jitsu deu início a sua primeira etapa trazendo  quase 600 atletas de equipes dentro do estado e estados vizinhos. Evento organizado pela Fight Pro Eventos, presidido por Fernando Bruno, o evento contou pontos para o Ranking Fight Pro, que vem dando ótimas premiações em dinheiro no final do ano.

Quem brilhou nos Absolutos foram os visitantes. Na Absoluto Preta Adulto Masculino Rodrigo Campos, da equipe Donosti de Alagoas, foi o campeão, seguido por Brenno Novaes (Nova União PE), Julio Galvão (Gracie Humaitá) e Clay "Zebu" Basto (Zebu Team), sendo este último atleta Master 3 que meteu as caras na categoria e absoluto adulto.

Outro destaque é para Abraão Amorim, que fechou não só a Absoluto Preta Master (1, 2, 3, 4, 5, 6) Masculino como também a categoria Preta Master 1 Masculino Meio-Pesado, com seu irmão Lucas Amorim ambos da CheckMat Fortaleza, seguidos por Pedro Lessa e Rômulo Vaz.

Na briga pelos pontos e pelo pódio quem levou a melhor foi a Gracie Humaitá. A quarta e quinta colocada a briga foi muito acirrada até as últimas lutas se mantiveram muito próximas. Veja abaixo a pontuação até a quinta colocação:

  1. Gracie Humaitá - 493
  2. GF Team - 341
  3. Gracie Elite - 157
  4. Carlson Gracie - 107
  5. Nova União - 105

Segue abaixo as fotos do evento:





















































































































































































































































































































































































































































































































































































































































Abu Dhabi World Jiu-Jitsu Legends: Veteranos dão show de técnicas. Resultados e imagens

Nesta manhã de sábado, 22 de abril, o público ligado no mundo do Jiu Jitsu pode conferir o Abu Dhabi World Jiu Jitsu Legends, evento que aconteceu em Abu Dhabi no IPIC Arena, Emirados Árabes Unidos, sob tutela da UAEJJF.

O evento trouxe pela segunda vez, os lendários da arte suave que brilharam em suas épocas de adulto e outros que não deixaram de competir.

Com 5 combates eletrizantes de 6 minutos, que mais pareciam lutas entre os adultos, os lendários do jiu jitsu mostraram que a experiência e a técnica andam juntas.

Márcio Pé de Pano venceu Gabriel Napão

Num combate muito equilibrado, Napão tentou passar algumas vezes a guarda super afiada do Pé de Pano, que fazia boas defesas e reposições. Pé de Pano atacou de omoplata girando o corpo com o pé envolvido e Napão defende a raspagem tentando atacar nas pernas. Pé de Pano defende num spraw e gira indo pras costas concretizando 2 pontos para vencer o combate.

620x413Márcio Pé de Pano iniciando a posição que o levou a vitória sobre Gabriel Napão (Foto José Luis Follador)

Amaury Bitetti supera nos pontos Roberto Traven

Ao estilo Old School da Carlson Gracie, Amaury Bitetto impôs o jogo em pé, indo pra frente todo tempo, tentando algumas técnicas de quedas, trocando pegadas. Roberto Traven tenta puxar pra guarda mas o Bitetti tenta passar rapidamente, mas Traven repõe a guarda e o juiz volta a luta no centro do tatame. Amaury tenta abrir a guarda em pé mas a boa guarda do Traven o impede repondo a guarda mais uma vez. Nessa briga, quem levou a melhor foi Amaury Bitetti com uma vantagem a frente do Roberto Traven.

620x413Amaury Bitetti vence Roberto Traven por uma vantagem de diferença. (Foto José Luis Follador)


Vitor Shaolin finaliza e bota Kenny Florian pra dormir

Conhecido por suas lutas no UFC, Kenny Florian é Faixa Preta de Jiu Jitsu e tentou impor seu jogo contra o habilidoso Vitor Shaolin, que não deu chances para o americano. Começando o combate, Vitor Shaolin chamou pra guarda raspando rapidamente Kenny Florian. Na sequência, o americano tentou impor sua guarda contra o brasileiro, que não tomou conhecimento e passando a guarda do americano, que numa tentativa de defesa da passagem virou de 4 apoios tentando buscar as pernas do brasileiro. Nesse momento, Vitor Shaolin aproveitou o giro e fazendo pegada na lapela, atacou no conhecido "reloginho" e finalizou Kenny Florian, que não resistiu a pressão e apagou no tatame em 2 minutos de luta.

 

Participando pelo segundo ano consecutivo do Abu Dhabi Legends, Vitor Shaolin brilhou e levou os fãs da arte suave à loucura. Em ação contra Kenny Florian, conhecido por sua trajetória no Ultimate, o brasileiro não deu chances para o americano e, com uma atuação brilhante, precisou somente de dois minutos para aplicar um estrangulamento relógio e botar Florian para "dormir".

620x413Vitor Shaolin finalizou Kenny Florian ganhando destaque no Legends (Foto José Luis Follador)


Alexandre Soca leva o combate por pontos contra Baret Yoshida

No combate entre Alexandre Soca e Baret Yoshida, o brasileiro logo nos primeiros minutos, derrubou o japonês de single leg, conquistando os dois pontos que consagrou sua vitória. Yoshida trabalhando de guarda aberta meio que envolvendo o corpo de Soca, ainda como uma defesa do single leg que o levou pro chão, Soca tentava passar a guarda mas a luta não se desenvolveu bem, terminando o embate nos pontos. Vitória para Soca por 2 pontos a zero.

620x413Baret Yoshida levou a pior e foi derrotado por Alexandre Soca (Foto José Luis Follador)

Helio Soneca supera Megaton Dias nos pontos

Numa luta digna de "main event" ou luta principal entre os legends, Helio Soneca enfrentou o Wellington Megaton Dias, conhecido não só por suas proezas como competidor nato, mas também por ser pai da Makenzie Dern, atleta feminina em destaque no cenário atual do jiu jitsu. Começando o combate, os dois atletas chamaram pra guarda, no que Megaton prefere ficar por cima e já começa impondo seu jogo, tentando passar a guarda arisca do Soneca, que logo tenta pegar o braço do Megaton num ataque de omoplata. Em mais uma tentativa de passar a guarda aberta do Soneca, Megaton tenta passar cruzando o joelho mas Soneca faz boas referências na lapela e no braço. Aos gritos da filha Makenzie, o pai Megaton tenta passar mais uma vez fazendo pegada na gola mas Soneca sabe do perigo daquela pegada e estoura ou folga todas as tentativas do Megaton. Entre uma pegada e outra, Soneca rapidamente puxa pra meia guarda profunda e sem para no meio do caminho, inverte a posição, conquistando os dois pontos de sua vitória. Faltando um minuto pra encerrar o combate, Megaton fecha a guarda, mas Soneca não quer descanso e abre a guarda do Megaton que logo tenta raspar de guarda aranha, mas não há mais tempo. Helio Soneca vence Megaton Dias por 2 pontos a zero em luta eletrizante, levando o público a delírio.

620x413Helio Soneca superou Megaton Dias por 2 a 0 nos pontos (Foto José Luis Follador)

Abu Dhabi World Jiu-Jitsu Legends 2017
Abu Dhabi - IPIC Arena
22 de Abril

  1. Márcio Pé de Pano venceu Gabriel Napão por pontos (2 a 0)
  2. Amaury Bitetti venceu Roberto Traven nas vantagens (2 vantagens a 1 vantagem sem pontos)
  3. Vitor Shaolin venceu Kenny Florian por finalização (estrangulamento reloginho)
  4. Alexandre Soca venceu Baret Yoshida por pontos (2 a 0)
  5. Helio Soneca venceu Wellington Megaton Dias por pontos (2 a 0)

Veja mais imagens das lutas abaixo:





















Brabos Combat consolida sua quarta edição em Alagoas

Por Glauber Barbosa

O Brabos Combat é um evento de Alagoas, que disputou a final do prêmio Oswaldo Paquetá (o Oscar do MMA brasileiro) como um dos eventos revelação em 2016. A indicação do Brabos Combat para disputar esse prêmio não foi por acaso, foi realmente por merecimento, pois o seu idealizador Diogo Rocha é um perfeccionista e o MMA do Nordeste só tem a crescer com a sua contribuição.

Nesta que foi a 4ª edição, realizada na cidade de São Miguel dos Campos-AL, o card teve atletas da cidade sede, de cidades vizinhas, de Maceió, Palmares-PE e até de Rondônia.
Um público de aproximadamente 2.000 pessoas que lotou a quadra do ginásio assistiu um verdadeiro show de entretenimento, com uma ótima estrutura de luz e som.

As lutas foram filmadas com a narração de Yuri Veiga e comentários de Erik Hansen, e você pode conferir uma de suas lutas que está disponível abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=TiEtud3p-hM

Para justificar o slogan do evento, “justo e imparcial”, a arbitragem e julgamento foram de fora do estado, vindo toda a equipe de Pernambuco.

A quinta edição do evento já tem local e data marcada que acontece no dia 20 de maio, no Centro Comunitário Nossa Senhora de Fátima, na Alvorada 2, bairro de alguns campeões do mma como José Aldo, Dileno Lopes e Marcos Loro.

Brabos Combat
São Miguel dos Campos-AL
08 de abril de 2017

Resultado oficial do evento:

Luta 1: Marcio Felipe venceu por finalização (mata leão) Thayran Alves em 01:41 do 1º round - MMA
Luta 2: Pablo Christian “Escobar” venceu por pontos (decisão dividida) Maciel Duarte - K1
Luta 3: João Bispo venceu por desistência (ombro deslocou) Wilson Rodrigo em 00:40 do 1º round – K1
Luta 4: Bruno Leonardo venceu por finalização (mata leão) Amilton Falcão em 03:55 do 2º round – MMA
Luta 5: Kleyton Alves venceu por finalização (armlock) Alexsandro Cangaty em 01:35 do 1º round – MMA
Luta 6: William "Pitbull" venceu por decisão (unânime) Michael Douglas - MMA
Luta 7: Italo Ribeiro (Arapiraca) venceu por decisão (unânime) Henrique "Ogrinho" - MMA
Luta 8: Mayk Mendes venceu por finalização (chave de perna) Alan Nogueira em 2:21 do 1º round - MMA












UFC 170: Ronda Rousey vence e Dana White abre caminho para Cyborg no UFC

A principal luta do UFC 170 marcou a segunda defesa de cinturão da campeã Ronda Rousey. Em sua nona luta como profissional das artes marciais mistas, a ex-judoca olímpica venceu pela primeira vez por nocaute técnico. Nas apresentações anteriores, “Roudy” finalizou todas as adversárias com sua  marca tradicional: a chave de braço.

Ronda enfrentou a medalhista de prata na luta olímpica em Atenas, Sara Mcmann, que estava invicta no esporte há sete lutas. O combate acabou com uma joelhada aplicada pela melhor lutadora do mundo na atualidade. Rousey encaixou o golpe na linha de cintura de Sara, que caiu, sofreu alguns socos e demorou a reagir. O árbitro Herb Dean interrompeu a luta para proteger a integridade física da desafiante.

Foto: getty images

Indefinição

Ainda não há definição acerca da próxima oponente de Ronda Rousey. Ela quer enfrentar Cat Zingano, contra quem teria feito a final do The Ultimate Fighter, mas uma lesão impediu a realização da luta. Zingano foi substituída por Miesha Tate, que foi batida por Ronda no Strikeforce e novamente no UFC.

O efeito Cyborg

Em comunicado oficial, a brasileira Cris Cyborg anunciou que terá acompanhamento médico para bater os 61,3kg do peso galo para encarar a campeã. “…Eu ainda vou fazer o que meu médico me aconselhou, portanto não vou lutar mais do que três vezes no peso galo: a primeira para vencer o cinturão do Invicta, a segunda para chutar o seu traseiro e a terceira para chutar o seu traseiro de novo, assim o mundo vai ver que não foi por sorte”.

Sobre o doping e a acusação de que usa esteroides, disparou: “Você pode até me testar toda semana até a data da luta. Dessa forma você não terá desculpas depois de eu chutar o seu traseiro”.

A resposta do presidente

Na coletiva de imprensa, Dana White demonstrou interesse em contratar Cris para promover a aguardada luta entre as maiores rivais do seguimento feminino. “Cyborg tem que bater o peso e fazer algumas lutas em algum outro lugar, e se ela estiver saudável, nós podemos chegar a um acordo. Teremos que ver essa coisa de contrato e  porque o que ela disse sobre morrer se baixasse peso está registrado, mas eu estou aberto [a negociação]”.

Não deu nem pro começo

Daniel Cormier estreou com vitória por nocaute sobre Patrick Cummins. “DC” respondeu as provocações do ex-companheiro de equipe na modalidade de luta olímpica com  apresentação dominante, em pé e no chão, que terminou em apenas 1min19s. O atleta da American Kickboxing Academy deverá fazer mais algumas lutas para se candidatar à disputa de cinturão.

Demian perde, de novo

Demian Maia perdeu a segunda luta consecutiva no peso meio médio. O brasileiro enfrentou o promissor Rory MacDonald e venceu o primeiro round da luta, no chão, onde mostrou superioridade, mas nos rounds seguintes foi superado na troca de golpes em pé, onde já evoluiu, mas não a ponto de lutar de igual para igual contra strikers. O paulista vinha de derrota para Jake Shields.

Embate entre brasileiros

Raphael Assunção não teve dificuldade para derrotar Pedro Munhoz por decisão unânime. Com seis vitórias consecutivas, o pernambucano se aproxima da disputa de cinturão contra Renan Barão.

Trocadilho

Rafaello "Trator" foi tratorizado por Eric Koch no card preliminar.

Resultados do UFC 170 [crédito: TATAME]

Card principal

Ronda Rousey derrotou Sarah McMann por nocaute técnico no 1R

Daniel Cormier derrotou Patrick Cummins por nocaute técnico no 1R

Rory MacDonald derrotou Demian Maia por decisão unânime dos jurados

Mike Pyle derrotou T.J. Waldburger por nocaute técnico no 3R

Stephen Thompson derrotou Robert Whittaker por nocaute técnico no 1R

Card preliminar

Alexis Davis derrotou Jessica Eye por decisão dividida dos jurados

Raphael Assunção derrotou Pedro Munhoz por decisão unânime dos jurados

Aljamain Sterling derrotou Cody Gibson por decisão unânime dos jurados

Zach Makovsky derrotou Josh Sampo por decisão unânime dos jurados

Erik Koch derrotou Rafaello Trator por nocaute técnico no 1R

Ernest Chavez derrotou Yosdenis Cedeno por decisão dividida dos jurados

Fonte: http://terramagazine.terra.com.br/mmamanoamano/blog/2014/02/23/ronda-rousey-vence-e-dana-white-abre-caminho-para-cyborg-no-ufc/


Bitetti Combat 15: Alan Nugget vence Claudieri Freitas e fatura cinturão do evento

A décima quinta edição do Bitetti Combat, um dos eventos mais tradicionais do MMA brasileiro, aconteceu na noite do último sábado (11), no Clube Hebraica, em Laranjeiras, no Rio, com Alan Nugget conquistando o cinturão da categoria até 70kg ao vencer Claudieres Freitas em decisão dividida dos árbitros.

 

178928_594106130613924_1906605179_n

Na duelo principal da noite da noite, Claudiere Freitas, que venceu Andrezinho Nogueira no grande combate da última edição do Bitetti, enfrentou Alan Nugget na categoria até 70kg e valendo o cinturão. A luta iniciou com os lutadores se estudando e levando o combate para o chão. No fim do primeiro round, ao soar o gongo, Alan Nugget dava uma chave de tornozelo em Claudiere, que não levantou. A equipe do lutador, que ficou no chão, entrou no octógono reclamando com o juiz da luta, Osiris Maia, que não aceitou os questionamentos que o golpe teria sido dado após o soar do gongo e aplicou o cartão amarelo em Claudiere. O lutador conseguiu levantar e voltou para o segundo round. Mas, até o fim da luta, os lutadores priorizaram a luta no solo. No fim, com o resultado aberto, Alan Nugget levou a melhor e venceu por decisão dividida e levou o cinturão para casa.

A noite ainda se completou com boas lutas. No co-main event da noite, Rivaldo Jr e Cyberlan Porco Loco, fizeram um duelo sem favoritos na categoria até 66kg. Com Rivaldo tentando levar a luta para o chão o tempo todo, restava a Porco Loco tentar se manter de pé e a trocação. Com a luta aberta até o final, Rivaldo Jr venceu por decisão dividida dos juízes. Outro destaque da noite ficou por conta de Alex Cowboyque venceu por nocaute Jone Garcia. Após uma linda sequência com vários golpes, Alex acertou um gancho no queixo de Garcia, que foi ao chão. Vitória de Alex Cowboy.

Resultados:

       Card principal:

  • Até 70kg – Alan Nugget venceu por decisão dividida Claudiere Freitas (valeu cinturão)
  • Até 66kg – Rivaldo Jr venceu por decisão dividida Cyberlan Porco Loco
  • Até 77kg – Alex Cowboy venceu por nocaute Jone Garcia
  • Até 61kg – André Minhoca venceu por finalização João Ferreira Van Damme
  • Até 70kg – Fernando dos Santos venceu por decisão unânime Kel Fúria

      Card Preliminar:

  • Até 77kg – Kenedy Silva venceu por finalização Bruno Higashi
  • Até 66kg – Ricardo Lima venceu por decisão unânime Reinaldo Tavares
  • Até 59kg – Tiago Grillo venceu por finalização Isaac Pimentel
  • Até 70kg – Cristiano Ferrugem venceu por finalização Paulo Roberto Aquiles
  • Até 61kg – Luis Carlos Mikimba venceu por decisão unânime Denison Silva
  • Até 66kg – Daniel Ortega venceu por decisão unânime Thiago Ximarú
  • Até 84kg – Tiago Monaco venceu por finalização Alex Junius Marmaduqui
  • Até 77kg – Calrston Harris Moçambique venceu por decisão unânime Cleiton Prisco.

Fonte: http://newsmma.wordpress.com/


Copa Pódio de Jiu-Jitsu 2013: Conheça os campeões

Leandro Lo, Rodolfo Vieira, Xande Ribeiro e GFTeam fazem a festa na Copa Pódio

 

O céu azul, o sol de outono e depois a bela noite do Rio de Janeiro ganharam uma companhia especial no último domingo, dia 05. No Hebraica, Zona Sul da “Cidade Maravilhosa”, o cenário ficou ainda mais perfeito com a primeira etapa da segunda temporada da Copa Pódio de Jiu-Jitsu, que reuniu grandes nomes da arte suave em disputas eletrizantes.

Divididos em quatro grandes atrações, os atletas deram um show sobre o tatame e fizeram ferver a arena de luta.

Em acirrado GP, Leandro Lo fatura o bicampeonato dos leves

Campeão da edição inaugural do torneio, Leandro Lo não teve vida fácil na segunda edição do GP dos leves da Copa Pódio de Jiu-Jitsu. Encabeçando o grupo amarelo, Lo venceu quatro lutas na primeira fase e teve pela frente DJ Jackson, segundo do grupo verde, em uma das semifinais. Após começar em desvantagem no placar após uma boa queda do norte-americano, o atual campeão se estabeleceu na peleja e foi para costas para virar a contagem, completando no fim e fechando em 6 a 2.

Do outro lado da chave, Vinicius Marinho, primeiro do grupo verde, e Diego Borges, segundo colocado no grupo amarelo, duelaram e quem levou a melhor foi o manauara, anotando 6 a 0 sobre Vinicius. O carioca, por sua vez, garantiu o troféu de terceiro lugar ao superar DJ Jackson por uma punição.

Curiosamente, quis o destino que a grande final do GP fosse uma reedição do combate que fechou a primeira rodada da fase de grupos. E mais uma vez, por uma vantagem e em luta muito disputada, Leandro Lo venceu Diego Borges para comemorar o bicampeonato no GP dos leves da Copa Pódio de Jiu-Jitsu.

Rodolfo Vieira defende hegemonia na Copa Pódio em Superluta

Um dos principais nomes do Jiu-Jitsu mundial, Rodolfo Vieira apertou sua faixa-preta na cintura e foi à luta. Escalado para enfrentar o duríssimo Ricardo Demente na Superluta da noite, Rodolfo começou ditando o ritmo da luta, colocando pressão nas costas de Demente, que sobreviveu. Na etapa final do combate, foi Ricardo quem comandou as ações por cima, mas sem oferecer maiores riscos ao atual campeão do GP dos pesados da Copa Pódio.

Ao final dos 10 minutos de luta, Rodolfo Vieira comemorou o triunfo sobre Ricardo Demente por três vantagens, numa grande batalha.

No Desafio de Cidades, Xande Ribeiro e Manaus levam a melhor

O encontro entre Xande Ribeiro e Bráulio Estima era um real tira-teima. Com seis lutas disputadas entre eles e três vitórias para cada lado, quem teve motivos de sobra para sorrir foi Xande, que conseguiu passar a guarda de Bráulio e venceu no placar total de 5 a 2, garantindo a festa de Manaus sobre Recife no Desafio de Cidades.

GFTeam leva a melhor no Desafio de Equipes

Reunindo duas das melhores equipes de Jiu-Jitsu do mundo, o Desafio de Equipes colocou frente a frente GFTeam e Alliance em três pegas muito aguardados pelos fãs. No primeiro encontro, Vinicius Marinho abriu vantagem para a GFTeam  em 8 a 2 sobre ninguém menos que Fernando Tererê, cada vez melhor em sua volta aos tatames.

A vantagem da equipe carioca ficou ainda maior no duelo entre Rodolfo Vieira e Léo Leite, onde o atleta da GFTeam raspou e pegou as costas para garantir 6 a 0, somando 14 a 2 no total do Desafio.

Com uma missão indigesta pela frente, Dimitrius Souza encarou Leonardo Maciel e até venceu por 2 a 0, mas não o suficiente para reverter à desvantagem no placar. Assim, a GFTeam venceu o Desafio de Equipes com o placar de 14 a 2 sobre a Alliance.

Veja os resultados completos:

Copa Pódio – GP dos Leves

Clube Hebraica, Rio de Janeiro, RJ

5 de maio de 2013

Desafio de Equipes 1° rodada
Vinicius Marinho passou a guarda e venceu Fernando Tererê (Alliance) por 8 a 2

Desafio de Cidades
Xande Ribeiro (Manaus) passou a guarda e venceu Bráulio Estima (Recife) por 5 a 2

GP dos Leves 1° rodada

Rodrigo Magalhães venceu Oliver Geddes por 6 a 0
Augusto Tio Chico empatou com DJ Jackson
Clark Gracie finalizou Brandon Magana no relógio
Leandro Lo venceu Diego Borges por 1 a 0 nas vantagens

GP dos Leves 2° rodada

Vinicius Marinho venceu Oliver Geddes por 6 a 0
Tio Chico venceu Rodrigo Magalhães por interrupção médica (dedo no olho)
Juan Kamezawa empatou com Clark Gracie
Leandro Lo venceu Brandon Magana por 18 a 0

GP dos Leves 3° rodada

DJ Jackson finaliza Oliver Geddes na mão-de-vaca (chave de pulso)
Vinicius Marinho venceu Rodrigo Magalhães por desclassificação (punição)
Diego Borges venceu Clark Gracie por 2 a 0
Juan Kamezawa finalizou Brandon Magana na americana no pé

GP dos Leves 4° rodada

Tio Chico venceu Oliver Geddes por 5 a 0
Vinicius Marinho venceu DJ Jackson por 1 vantagem a 0
Leandro Lo venceu Clark Gracie por 13 a 0
Diego Borges venceu Juan Kamezawa

GP dos Leves 5° rodada

DJ Jackson venceu Rodrigo Magalhães por 3 a 0 nos últimos segundos
Vinicius Marinho venceu Tio Chico por desclassificação (gestos para torcida)
Diego Borges vence Brandon Magana por 8 a 0
Leandro Lo vence Juan Kamezawa por 10 a 0

Desafio de Equipes 2° rodada
Rodolfo Vieira venceu Leonardo Leite por 6 a 0 – até 98kg

GP dos Leves semifinais

Diego Borges venceu Vinicius Marinho por 8 a 0
Leandro Lo venceu DJ Jackson por 6 a 2

Desafio de Equipes 3° rodada
Dimitrius Souza venceu Léo Maciel por 2 a 0 – até 86kg (GFTeam venceu Alliance por 2 a 1)

GP dos Leves disputa do 3° lugar
Vinicius Marinho venceu DJ Jackson por 1 vantagem

Superluta: Rodolfo Vieira venceu Ricardo Demente por 3 a 0 nas vantagens

GP dos Leves: FINAL
Leandro Lo (Cicero Costha) venceu Diego Borges (CheckMat Manaus) por 1 a 0 na vantagem

Fonte: http://www.meiaguarda.com.br/index.php?pagina=noticias&id=8520


UFC 159: Jon Jones passeia em Chael Sonnen mas por pouco não perde o título

Jon Jones - Getty Images
Jon Jones - Getty Images

O campeão saiu de pé quebrado, com o dedo quase partido ao meio e um rasgo profundo num claro sinal de que ali houve uma fratura no osso. A cena feia contrastava com o sorriso largo de Jon Jones, enquanto o cinturão dos meio-pesados era enrolado em seu quadril pela sexta vez. A vitória de há pouco contra Chael Sonnen representa a quinta defesa de título de Jones, o que o torna recordista de defesas de cinturão até 93kg empatado com o aposentado Tito Ortiz.

Foi uma surra. Jones arremessou Sonnen no octógono sucessivas vezes como se fosse um boneco de pano na mão de um menino grande. No chão, o campeão desferiu uma saraivada de cotoveladas e socos até a interrupção do árbitro a pouco mais de 30 segundos do fim da round 1. Um massacre, mas Sonnen não estava nocauteado e poderia ter seguido para mais um round. Muita gente está de nariz em pé para a interrupção do árbitro e isso ainda dará no que falar.

Ao fim do combate, Jones mostrou para as câmeras seu dedo fraturado. Até ali, ninguém tinha notado que o campeão estava lesionado. A fratura certamente lhe teria custado o título caso o combate seguisse por mais cinco minutos. Jones não soube explicar o que provocou a lesão. Foi num momento em que ele tentava controlar Sonnen no chão pouco antes de lançar a sessão de golpes que lhe deu a vitória. Não fiquem surpresos se Sonnen se queixar que poderia ter lutado mais e que o resultado lhe seria favorável se o árbitro não tivesse parado a luta. E de fato seria. Mais 30 segundos e, certamente, ele venceria por interrupção médica com um nocaute técnico no cartel.

Depois do evento, Jones participou de 10 minutos da coletiva de imprensa e seguiu para o hospital onde checará a gravidade da lesão.

O UFC 159 foi um evento meia boca. Desde o card preliminar, até a maioria do card principal, poucas lutas empolgaram. O esperado duelo entre Michael Bisping vs Alan Belcher foi sonolento e em marcha lenta. Bisping se valeu de socos certeiros, mas sem contundência, para pontuar por 15 minutos até ser decretado vencedor na decisão dos árbitros. Vaias ecoaram no ginásio em Newark, New Jersey. Os dois tinha trocado insultos e previsto um combate aguerrido, mas ficaram devendo. Bisping prometeu tatuar a bandeira da sua pátria inglesa no peito, mas depois dessa vitória insossa não falou mais no assunto. Ele está próximo de uma disputa de cinturão na divisão dos médios (84kg) que tem como campeão Anderson Silva. "Meu objetivo é lutar pelo cinturão e seguir melhorando", comentou Bisping na coletiva de imprensa depois do evento.

Um dos poucos momentos em que toda platéia se contagiou com o UFC 159 foi quando o pançudo Roy Nelson partiu para cima do francês Cheick Congo e o apagou com uma bomba certeira no queixo e mais uma pedrada no chão. O nocaute da noite,  que lhe rendeu mais 65 mil dólares! O gordinho mais boa praça do UFC foi ovacionado pela torcida. É um dos melhores pesados do MMA há anos e provou isso mais uma vez. Está próximo de uma disputa de título. Segundo o patrão Dana White, ele pode enfrentar Mark Hunt antes de ser lançado ao cinturão. Hunt enfrenta Junior Cigano daqui a um mês.

único brasileiro no card, Vinny Magalhães prometeu finalizar Phil Davis em 10 segundos, mas em 10 segundos ele já parecia derrotado. Intimidado pelos socos do rival, Vinny não conseguiu impôr seu jogo de jiu-jitsu em momento algum e parecia lutar para perder por pontos. Não está no nível dos tops meio-pesados e isso ficou claro.

A surpresa da noite foi a estréia de Pat Healy que apagou Jim Miller no round 3 com um estrangulamento para barrar as pretensões do rival de disputar o título dos leves. Foi a melhor luta da noite e a melhor finalização. Pat lucrou 130 mil dólares extras e Miller 65 mil.

O UFC 159 marcou a terceira luta feminina da história do evento. Foi um dos melhores momentos da noite. A americana Sara McMann detonou a jovem alemã Sheila Gaff em poucos minutos. Nocaute técnico na base de socos e cotoveladas lançadas numa posição em que Gaff ficou indefesa com um dos braços presos pelas pernas da rival. Massacre. Assim como a campeã peso-galo Ronda Rousey, Sara está invicta com sete vitórias e tem na bagagem uma olimpíada. O caminho das duas deve se cruzar este ano.

Melhores momentos do UFC 159:

CARD PRINCIPAL
Jon Jones venceu Chael Sonnen por nocaute técnico aos 4m33s do primeiro round
Michael Bisping venceu Alan Belcher por decisão técnica
Roy Nelson venceu Cheick Kongo por nocaute aos 2m03s do primeiro round
Phil Davis venceu Vinny Magalhães por decisão unânime
Pat Healy venceu Jim Miller por finalização (mata-leão) aos 4m02s do terceiro round

CARD PRELIMINAR
Rustam Khabilov venceu Yancy Medeiros por nocaute técnico (interrupção médica) aos 2m32s do primeiro round
Ovince St. Preux venceu Gian Villante por decisão técnica majoritária
Sara McMann venceu Sheila Gaff por nocaute técnico aos 4m06s do primeiro round
Bryan Caraway venceu Johnny Bedford por finalização (guilhotina) aos 4m44s do terceiro round
Cody McKenzie venceu Leonard Garcia por decisão unânime
Steven Siler venceu Kurt Holobaugh por decisão unânime

 

A fratura no dedo do pé do campeão meio-pesado Jon Jones é a imagem que marcará o UFC 159. Dois combates nesse evento acabaram mais cedo por conta de dedadas no olho. E a luta principal terminou em vitória de Jones, mas custou a ele um dedão do pé quebrado. Não se sabe ainda quanto tempo Jones ficará na geladeira para se recuperar da lesão.

Depois da vitória, Jones participou de apenas 10 minutos da coletiva de imprensa pós-UFC 159 e seguiu para o hospital. De importante, ele disse que o árbitro demorou para interromper o combate, descartou enfrentar Lyoto Machida, chamou Anderson Silva de maior nome do MMA e ouviu do patrão Dana White que teria sido derrotado por interrupção médica se tivessem notado a fratura antes da vitória ser consumada a 30 segundos do fim do round 1. Palavras de Jones:

- Achei que poderiam ter parado a luta até um pouco antes. O lutador sempre acha que sabe a hora de parar, mas eu achei que ali já tinha passado (da hora).

- Eu não me permitiria parar por causa da lesão e creio que meus treinadores também não. (Nesse momento Dana White vira para Jones e garante que a luta seria interrompida pelos médicos ao fim do round 1). "Isso é um fato", garantiu o dono do UFC. "Obrigado por ter esclarecido", respondeu em tom de ironia, Jones.

- Não posso esquecer o que Anderson fez no octógono. Eu nunca desrespeitaria o que Anderson Silva tem feito. Eu estou celebrando o meu segundo ano como campeão, e ele vem fazendo isso há seis anos. Isso é fenomenal. Ele é um ícone e ainda é o meu ídolo.Tenho que reconhecer isso (que Anderson é o maior).

- Já lutei contra o Lyoto Machida antes... Não acho que seja a hora de lutar com o Machida de novo.

Palavras de Sonnen na coletiva:

- Ele (Jones) é mais forte, é difícil para mim elogiar o Anderson Silva. O Anderson durou quase uma luta toda e o Jones foi rapidinho.

- Jones e Anderson deveriam ligar para Dana White e implorar para lutar um contra o outro. Para mim, são dois covardes. No mundo da luta, se você não quer lutar, não levante a mão. (Nessa hora Dana diz que Anderson ligou para ele hoje pedindo por uma luta, mas sem revelar qual seria).

Fonte: http://oglobo.globo.com/blogs/mma/


UFC Japão: Wanderlei Silva nocauteia Brian Stann em épico combate

Uma noite inesquecível para os fãs do MMA. Após 7 anos, Wanderlei Silva voltou pra casa, o palco onde o consagrou e ele não deixou a responsabilidade de lado e nocauteou o norte-americano Brian Stann em um combate frenético desde o início. Em combate válido pelos meio-pesados, na madrugada deste sábado (02), Wanderlei Silva levou os japoneses no Saitama Super Arena ao delírio. No Co-Main Event, Mark Hunt não respeitou o tamanho do holandês Stefan Struve e derrubou o “arranha céus” emplacando sua 3º vitória seguida. Em evento morno, Wanderlei Silva salvou a noite na terra do sol nascente. Primeiro pela entrada que o consagrou no palco onde brilhou por muito tempo e lhe fez ser reconhecido pelo que é hoje. Wand em nenhum momento andou para traz nem mesmo com os duros golpes que tomava de Brian Stannm, muito pelo contrário, o “cachorro louco” conectava golpes no contra-ataque e fazia o norte americano respeitá-lo. O duelo foi frenético desde os seus primeiros segundos de luta, no primeiro round Stann tentou intimidar o brasileiro partindo pra cima, mas esqueceu que a “praia” do brasileiro é trocação e se deu mal, dava um e tomava dois no contra-ataque.

No segundo round, os lutadores voltaram com mais calma e cuidado, buscando a hora certa de golpear. Stann, já mostrava sinais do round inicial com um grande ferimento no nariz, não se apresentava para a trocação aberta respeitando o brasileiro, com isso, Wanderlei aproveitava a oportunidade e mirava o local, aplicando socos seguidos. Com dois minutos de luta, Stann aplicou um novo chute na região genital e foi advertido pelo árbitro Marc Goddard. Na volta para a luta, o brasileiro aplicou um chute alto que surpreendeu Stann. Após mais alguns momentos de estudos, o brasileiro partiu para decidir a luta. Após um direto de direita, Wanderlei acertou um cruzado de esquerda que derrubou o americano definitivamente, aplicando apenas mais alguns golpes antes de ver a luta ser encerrada pelo árbitro e levando o público ao delírio no Saitama Super Arena. Wand retorna ao palco que o consagrou com uma vitória épica. ”Eu tive os melhores momentos da minha vida aqui, e hoje é mais um.” disse a lenda ainda no octógono da arena

Rani Yahya vence no sufoco, e Cristiano Marcelo e Marcelo Guimarães são derrotados.

Antes do show de Wanderlei Silva, outros 3 brazucas subiram ao cage mais famoso do mundo no Saitama Super Arena. Abrindo o card preliminar, capixaba Marcelo Guimarães foi surpreendido com uma joelhada na face do sul-coreano Hyun Gyu Lim no último minuto do segundo round. Quem também foi superado, foi Cristiano Marcello, que não conseguiu fazer uma boa peformace e foi Cristiano Marcello que foi superado pelo japonês Kazuki Tokudome em um duelo morno.

Não foi Wanderlei Silva o único brazuca a vencer na noite. O finalizador Rani Yahya não conseguiu finalizar Mizuto Hirota mas conseguiu anular o jogo de solo do Japonês que tentava a todo momento levar o duelo pro chão. O brasileiro aproveitava da insistência do rival e buscava a finalização, mas o rival guerreiro se defendia bem, mas com uma aula de jiu-jitsu, a vitória veio para o brasil por decisão unânime dos jurados.

 

PRÊMIOS DA NOITE:

Além do belo nocautaço, Wanderlei Silva faturou o prêmio de melhor nocaute da noite, e também de melhor luta da noite diante de Brian Stann, levando então 100 mil dólares para casa. O evento não teve finalização, e por isso mas a honra foi dividida com o neozelandês Mark Hunt, que também levou US$ 50 mil por seu impressionante nocaute contra o holandês Stefan Struve. Hunt, de 1,77m, venceu Struve, de 2,13m, com um cruzado de esquerda certeiro que quebrou o maxilar do “Arranha céus” holandês.

 UFC JAPÃO, SAITAMA SUPER ARENA: Silva x Stann
        CARD PRINCIPAL 

  • Wanderlei Silva venceu Brian Stann por nocaute aos 4m08s do segundo round
  • Mark Hunt venceu Stefan Struve por nocaute a 1m44s do terceiro round
  • Diego Sanchez venceu Takanori Gomi por decisão dividida
  • Yushin Okami venceu Hector Lombard por decisão dividida
  • Rani Yahya venceu Mizuto Hirota por decisão unânime
  • Dong Hyun Kim venceu Siyar Bahadurzada por decisão unânime

      CARD PRELIMINAR

  • Brad Tavares venceu Riki Fukuda por decisão unânime
  • Takeya Mizugaki venceu Bryan Caraway por decisão dividida
  • Kazuki Tokudome venceu Cristiano Marcello por decisão unânime
  • Alex Caceres venceu Kyung Ho Kang por decisão dividida
  • Hyun Gyu Lim venceu Marcelo Guimarães por nocaute aos 4m00s do segundo round

Fonte: http://newsmma.wordpress.com/


UFC 157: Ronda Rousey finaliza Liz Carmouche e no sufoco, Lyoto Machida vence Dan Henderson

Rousey consegue o 7º armlock em 7 lutas na carreira. (Foto:reprodução).Rousey consegue o 7º armlock em 7 lutas na carreira. (Foto: Reprodução).

Foi histórico. Em evento realizado na cidade de  Anaheim, Califórnia nos Estados Unidos Ronda Rousey fez história ao medir forças contra Liz Carmouche. Foi a primeira vez que o UFC teve uma luta feminina e a estrela da noite, Ronda Rousey fez bonito ao defender o título que havia ganho sem ao menos ter lutado. Já pelo co-main event, Lyoto Machida enfrentou o veterano Dan Hendersone sofreu, levando o duelo para as mãos dos árbitros.

A musa do MMA, Ronda Rousey enfrentou Liz Carmouche e fez o que sabe de melhor, finalizou com um belo arm-lock no primeiro round. Ronda começou o duelo partin com tudo para cima, encurtando a distância e prendendo a rival na grade e logo em seguida levando para o chão. Depois, Rousey  leva um susto, perdendo a posição e deixando Carmouche pegar as costas. Liz tentou ir para o pescoço, mas Ronda se defende bem do mata-leão, se desvencilhando então da posição que lhe assustou e foi guerreira pra sair. Mas Carmouche tentou forçar mais uma vez e a campeã saiu de vez. Rousey estuda o melhor momento para entrar na grade mais uma vez e Liz quase pega o pé da campeã, que se desvencilha bem. Mas ai Rousey brilhou bonito. Roiusey conseguiu ficar por cima, imobiliza no melhor estilo do judô e castigou o rosto de Carmouche, e logo em seguida, encaixa um belo arm-lock, Liz tentou resistir, mas Rousey  obrigou Carmouche a bater faltando 10 segundos para o final do round: vitória com chave de braço ainda no primeiro round.

Deu Brasil, mas no sufoco.

Lyoto vibra com o anúncio após vitória. (foto: reprodução.)Lyoto vibra com o anúncio após vitória. (Foto:  Reprodução.)

Lyoto Machida mostrou garra e superou o veterano Dan Henderson em um duelo pra lá de difícil. O combate começou com muito estudo e respeito de ambos os lutadores, round muito equilibrado mas  Hendo ousou mais e caminhou para frente com mais iniciativa, Lyoto jogando totalmente no contra golpe, e conseguiu uma linda queda nos 10 segundos finais, que certamente impressionaram os juízes.

O equilíbrio permaneceu no segundo round, novamente Hendo tomou a iniciativa mas sem muito perigo, desta vez Lyoto conseguiu desferir alguns bons golpes no rosto. No Terceiro e decisivo round, Hendo conseguiu uma queda e passou metade do round por cima de Lyoto, mais pouco trabalhou seu ground pound, Machida fez a raspagem levantou e praticamente lutou com o regulamente debaixo do braço. No final uma decisão dividida deu a vitória ao brasileiro. Se Jon Jones fizer a sua parte no UFC 159, teremos uma revanche ainda este ano.

Mais Brasil. Yuri Villefort estreia bem apesar de derrota.

No primeiro combate da noite, Yuri Villefort fez sua estreia no UFC ao enfrentar  Nah-Shon Burrell e fez um duelo bem duro e difícil. O brasileiro bem que tentou finalizar o rival no segundo com um mata-leão. O brasileiro não conseguiu fazer um belo combate em cima, mas ele buscava o solo e melhorava muito, Burrel já temia o chão do brasileiro que fugia do chão do brazuca. O americano oriundo do Wrestler conseguiu sair por diversas vezes das investidas do brasileiro, que no meio do terceiro round pegou uma chave de calcanhar efetuou a transição para o pé, mas ficou exposto e o americano fez um ground Pound poderoso, castigando bastante o rosto do brasileiro. Ambos estavam totalmente cansados pois fisicamente exigiram-se o máximo durante o combate. No final das contas decisão unanime para o americano. O duelo foi bastante aplaudido no Honda Center e o brasileiro chegou a ser parabenizado pelo chefão Dana White.

PRÊMIOS DA NOITE:

O UFC premiou o  ”Nocaute da Noite” para Robbie Lawler, que venceu Josh Koscheck por nocaute técnico no primeiro round. Foi a única luta do evento que terminou dessa maneira. A “Luta da Noite” ficou por conta de Dennis Bermudez que superou Matt Grice, que fez um belo duelo lá e cá. A finalização da noite, surpreendeu a todos e ninguém conseguia explicar o tal golpe. Após o evento, a comissão atlética de Anaheim definiu como chave de joelho, além de ter dado a vitória a Kenny Robertson sobre Brock Jardine, rendeu ao lutador o prêmio de “Finalização da Noite”. Cada um levou pra casa US$ 50 mil (o equivalente a cerca de R$ 100 mil.

“Como foi impressionante essa finalização! Adoro a evolução desse esporte” escreveu no Twitter o presidente do Ultimate, Dana White, após a finalização de Robertson

RESULTADOS DO UFC 157 - Rousey x Carmouche

CARD PRINCIPAL

  • Ronda Rousey venceu Liz Carmouche por finalização (armlock) aos 4:49 do 1º round
  • Lyoto Machida venceu Dan Henderson por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
  • Urijah Faber  venceu Ivan Menjivar por finalização (mata-leão) aos 4:34 do 1º round
  • Court McGee  venceu Josh Neer por decisão unânime (30-27×3)
  • Robbie Lawler venceu Josh Koscheck por nocaute (ground and pound) aos 3:57 do 1º round

CARD PRELIMINAR

  • Brendan Schaub venceu Lavar Johnson por decisão unânime (30-27×3)
  • Michael Chiesa venceu Anton Kuivanen por finalização (mata-leão) aos 2:29 do 2º round
  • Dennis Bermudez venceu Matt Grice por decisão dividida (29-28×2, 28-29)
  • Sam Stout vencei Caros Fodor por decisão dividida (28-29, 29-28×2)
  • Kenny Robertson venceu Brock Jardine por finalização (chave de joelho) aos 2:57 do 1º round round
  • Neil Magny venceu Jon Manley por decisão unânime ( 30-27×2, 29-28)
  • Nah-Shon Burrell venceu Yuri Villefort por decisão unânime (30-27, 29-28×2)

Fonte: http://newsmma.wordpress.com/


Bellator 87: Brasileiros são eliminados do GP dos leves

Não foi a noite brasileira no Bellator. Em sua 87º edição do Bellator realizada na madrugada desta quinta para sexta-feira, em Michigan, nos Estados Unidos, contou com o início do torneio dos pesos leves da oitava temporada e dois brasileiros no cage. Com o brasileiro Patrkcy Pitbull fora de última hora, Ricardo Tirloni e Thiago Michel foram os encarregados por representarem o Brasil no Grand Prix dos pesos-leves.

TMO primeiro a entrar em ação no GP foi o mineiro Thiago Michel que enfrentou a fera Alexander Sarnavskiy. O kickboxer brasileiro foi logo sentindo que a luta não seria fácil sendo logo surpreendido por um direto do russo logo no início de combate. Thiago conseguiu equilibrar a luta no 1º round e no final do round inicial o brasileiro por pouco não finalizou o rival com uma guilhotina mas o russo foi salvo pelo gongo. No segundo round, com o tempo de estudo, o russo sabendo da técnica em pé do brasileiro, levou a luta pra baixo e deu uma amarrada no solo, indo às costas do brasileiro, conseguiu uma bela posição e encaixou um belíssimo mata-leão obrigado o brasileiro a desistir.  Sarnavskiy chega a semi do GP emplacando sua 22º vitória na carreira e apenas uma derrota.

20130131083526_9Na sequência foi a vez do catarinense Ricardo Tirloni que enfrentou o estreante na organização, Will Brooks. Com um adversário duro pela frente, invicto a 8 lutas, o brasileiro não quis saber de brincadeira, começou trocando com o americano mas buscou um simple leg, tentando levar a luta ao solo, mas quem conseguiu a queda foi Brooks, que usou e abusou da força e derrubou o brasileiro chegando a ameaçar um groun and pound, mas com um belo jogo de solo, Tirloni conseguiu sair e por pouco não conseguiu encaixar um arm-lock no rival. No segundo round, o brasileiro bem consegiu um double leg em Brooks botando mais emoção na luta, mas o americano buscou o solo de novo deixando Tirloni em apuros no solo. Com Brooks cansado, Tirloni conseguiu escapar e partiu pra trocação do o norte-americano, mas o combate foi pro terceiro round. NO último round, com bom estudo e sabendo  que sua força faria diferença, o americano abusou das quedas e sempre caia por cima, mas não golpeava com perigo, ele amarru a luta até o final, vencendo por decisão unânime. O lutador permanece invicto, agora com 9 lutas e encara Saad Awad que precisou de 31 segundos para derrotas Guillaume “Il Toro” DeLorenzi com um nocaute espetacular.

Quem disse que o Brasil não venceu?

TMO único brasileiro a vencer na noite, foi Samuel Quito que lutou no card preliminar do Bellator 87. O “Brazuca” fez um combate bastante interessante e dominador pra cima de Ben Lagman, derrotando o norte-americano com uma belíssima chave de joelho finalizando o rival aos 3:54 do segundo round.

     .

           BELLATOR 87: 

Mount Pleasant, Michigan, 31 de janeiro, 2013

       CARD PRINCIPAL

  • David Rickels venceu Lloyd Woodard por decisão unânime
  • Will Brooks venceu Ricardo Tirloni por decisão unânime
  • Saad Awad venceu Guillaume De Lorenzi por KO (socos)  aos 31s do 1º round
  • Alexander Sarnavskiy venceu Thiago Michel por finalização aos 3m43s do 1º round

      CARD PRELIMINAR 

  • Jason Fischer venceu Sevak Magakian por finalização (mata-leão) aos 3m37s do 1º round
  • Karl Etherington venceu Peixe Jason por TKO aos 3m45s do primeiro round
  • Amir Khillah venceu John Schulz por finalização ( mata-leão ) aos 4m34s do 1º round
  • JP Reese venceu David Shepherd por decisão unânime
  • Samuel Quito venceu Ben Lagman por finalização (chave de joelho) aos  3m54s do 1º round
  • Tony Zelinski venceu Nick Kirk por decisão dividida.

Fonte: http://newsmma.wordpress.com/